Acontece

Tecnologia de “cheiro digital” inova a forma de experimentar fragrâncias e movimenta o mercado cosmético

29 set 2020

Tão antiga como as primeiras civilizações humanas, a história do perfume está ligada ao próprio desenvolvimento da humanidade. Datado do Egito Antigo, o perfume no começo era utilizado em rituais e cerimônias místicas. Confeccionado na antiguidade com plantas, ervas e óleos naturais, foi na era moderna que ele virou um objeto de consumo comum para várias camadas sociais.

A revolução industrial transformou o perfume em um item de produção de larga escala e demanda mundial. E para revolucionar essa experiência de consumo, uma empresa brasileira desenvolveu a tecnologia de “cheiro digital”.

A inovação foi criada pela startup brasileira de scent tech Noar. A tecnologia oferece um “delivery de fragrâncias”, fazendo com que consumidores possam sentir as fragrâncias a partir de um device, eliminando a necessidade de testadores e outras formas de amostragem em pontos de venda.

Cláudia Galvão, CEO da Noar, afirma que a tecnologia trará uma nova abordagem à demonstração de produtos não só no caso dos cosméticos, mas futuramente para outros setores.

“Nós começamos a trabalhar nesse projeto justamente porque estávamos vendo a adaptação de vários produtos, serviços e conteúdos dos meios físicos para os meios digitais. Além de uma experiência nunca vista no mercado, a tecnologia alia praticidade, sustentabilidade e segurança”, diz.

Cláudia Galvão, CEO da Noar

Como funciona?

O primeiro produto a utilizar a tecnologia de cheiro digital da Noar será o “MultiScent 20”. Ele é um delivery digital de fragrâncias controlado através de um aplicativo. Ou seja, o cliente pode escolher pelo aplicativo qual fragrância quer experimentar e o cheiro será apresentado pelo aparelho.

Cláudia explica que o dispositivo libera a fragrância que fica armazenada em um cartucho interno. O cheiro é seco, ou seja, não deixa resíduos de perfume no ar, no demonstrador ou no usuário. Além de mais higiênico, o cheiro digital permite a experimentação de vários produtos em sequência, sem confundir o cérebro.

O MultiScent 20, que possui formato similar a um tablet, permite experimentar 20 fragrâncias diferentes. A fragrância do produto é emitida a partir de uma saída no topo do device e o acesso ao catálogo é feito por meio do escaneamento do QR Code que fica localizado no verso do MultiScent 20.

O MultiScent 20 proporciona uma experiência de consumo mais abrangente, que utiliza vários sentidos, não somente o olfato. No momento da experimentação, por exemplo, o cliente também pode ouvir música ou assistir vídeos que estejam relacionados com a história do produto.

O aparelho possui uma largura de 16,10 cm; comprimento de 21,50 cm e espessura de 2 cm. O controle do device é realizado totalmente via aplicativo, inclusive a recarga. Cada cápsula de fragrância pode ser disparada 100 vezes. Quando esse número é esgotado, é possível trocar o cartucho no aparelho. O MultiScent é configurado para que somente refis habilitados e originais funcionem nele através de um sistema de QR Code para evitar recargas genéricas.

Outro aspecto relevante é a segurança oferecida pelo aparelho. Além da possibilidade de experimentar a fragrância com máscaras, importante nesse período de pandemia, o MultiScent 20 pode ser higienizado com álcool 70% após o manuseio.

Cláudia lembra, ainda, que a ferramenta oferece uma solução para o cliente da venda direta experimentar e conhecer o produto sem depender das revistas impressas e deixa as empresas prontas para migrar completamente para o meio digital, o que reduziria consideravelmente o impacto ambiental causado por esse canal.

Conectividade e dados

O MultiScent 20 possui conectividade via bluetooth que possibilita a comunicação entre o device e aparelhos como smartphones e tablets. Além disso, também permite a coleta de dados de navegação, experimentação, compra e mais.

“As empresas poderão aplicar análises de Big Data e Data Science para conhecer melhor a taxa de conversão das fragrâncias experimentadas, preferências e comportamentos regionais, aspectos relacionados a sazonalidade e outros”, pontua Cláudia.

No processo de desenvolvimento do cheiro digital são utilizadas também ferramentas tecnológicas como inteligência artificial e nanotecnologia.

A CEO da Noar diz, ainda, que também está sendo desenvolvida uma programação no aplicativo com navegação intuitiva via comando de voz. O objetivo é diminuir o manuseio físico do aparelho por parte do consumidor.

Além do MultiScent 20, a Noar possui em seu pipeline de inovação uma série de produtos que utilizam a tecnologia do “cheiro digital”. Alguns foram desenvolvidos para transformar a experimentação de fragrâncias e aromas no ponto de venda, outros, para agregar o sentido do olfato a objetos e utensílios e criar uma experiência multissensorial, outros, ainda, para suportar ações promocionais e de marketing e torná-las muito mais efetivas.

Segundo Cláudia Galvão, o cheiro digital é um projeto que está sendo desenvolvido desde 2015 e um dos seus principais desafios foi pensar como reproduzir uma sensação tão subjetiva como o cheiro.

“Juntar profissionais das áreas de exatas como mecânica, eletrônica, mecatrônica para criarem um dispositivo que reproduzisse a essência fiel de um determinado perfume ou cosmético foi um desafio. Acompanhar esse trabalho conjunto e o excelente resultado é muito gratificante”, diz Cláudia Galvão.

Gigantes parceiras na inovação

O Grupo Wheaton, empresa líder nacional e uma das maiores fabricantes de embalagens de vidro para o segmento de perfumaria e cosméticos no mundo, acreditou na proposta inovadora da Noar e tornou-se sócio investidor da startup.

“A Wheaton valoriza muito a inovação, a empresa utiliza as mais modernas soluções tecnológicas para a indústria de vidros e, estávamos há algum tempo procurando no mercado um modelo de negócio que fosse disruptivo, a Noar veio alinhada com esta proposta”, comenta Renato Massara Júnior, diretor Comercial e de Marketingda Wheaton.

Renato ressalta também que a sustentabilidade e a internacionalização do projeto foram outros pontos que chamaram a atenção no cheiro digital, já que estão entre os pilares da Wheaton.

A entrada da tecnologia no mercado será feita através de outro nome de peso. O primeiro cliente da startup Noar para a aquisição do MultiScent 20 é a gigante Natura, marca que possui o maior mercado de venda direta do mundo.

De acordo com a Natura, o MultiScent 20 deve chegar ao varejo e para as consultoras de beleza até o final do ano, no Brasil e América Latina. Junto ao device, a Natura oferecerá um questionário que analisará as preferências dos clientes e permitirá a recomendação personalizada de perfumes.

“A digitalização já faz parte do nosso dia a dia e até mesmo o processo de escolha e compra de um perfume pode ser uma experiência inovadora e aprimorada com a tecnologia”, finaliza a CEO da Noar.

Siga-nos no Instagram:
Karol CosentinoTecnologia de “cheiro digital” inova a forma de experimentar fragrâncias e movimenta o mercado cosmético

Join the conversation